sábado, setembro 10, 2011

quinta-feira, setembro 01, 2011

Amor..


E agora que me fui lembrar do fernandinho (Fernando Pessoa) aqui fica um dos poemas que mais gosto dele

"O Amor
O amor, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p'ra ela,
Mas não lhe sabe falar.

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de *dizer.
Fala: parece que mente
Cala: parece esquecer


Ah, mas se ela adivinhasse,

Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
Pr'a saber que a estão a amar!

Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe

Porque lhe estou a falar.."


noite...

Bem hoje já estou mesmo a dar as últimas.. já não consigo pensar outra vez sobre o mesmo.. tou saturada de escrever as mesmas coisas! oh god! i need some good inspiration now.. vá fernandinho ajuda-me lá com as palavras!

"É fácil trocar as palavras, Difícil é interpretar os silêncios!
É fácil caminhar lado a lado, Difícil é saber como se encontrar!
É fácil beijar o rosto, Difícil é chegar ao coração!
É fácil apertar as mãos,
Difícil é reter o calor!
É fácil sentir o amor, Difícil é conter sua torrente!

Bem não eram este tipo de palavras.. palavras, em conjunto frases académicas, daquelas escritas por mim outras vezes mas que não quero repetir, tipo

"
A evolução está a apontar para uma customização em massa que combina as características e benefícios de uma produção massificada, ou seja, em grande escala (beneficiando das consequentes economias de escala), com os da customização, ou seja, trabalhar quase exclusivamente para um cliente. "

Vou é dormir...

let me go..


"All hopeless fantasies are making fools of me
I walk alone and yet I never say goodbye
Let me go..."